segunda-feira, 26 de abril de 2010

biografia XXI – angústia

quando nasci pássaros
atordoados afogavam se no rio
doce a noite
fechava se sobre
todos nenhum

anjo se importou

meus livros desesperam se
na escuridão as 3
árvores que
plantei naufragam
no calor

enlouquecido


pedro e alice já não
dormem em casa em lugar
algum encontro o que
deixei na beira do
rio nem nos meus

cabelos brancos as flores
do limoeiro a
correria das crianças no
quintal da minha

infância

2 comentários:

Bárbara disse...

Seus poemas são lindos.

Adair Carvalhais Júnior disse...

Obrigado Bárbara. Fico contente que goste.

Seja bem vinda e volte sempre.